Pular para o conteúdo principal

Projeto ensina música a deficientes visuais e auditivos em Guarulhos Alunos produzem no computador partituras em braile.



Projeto ensina música a deficientes visuais e auditivos em Guarulhos

Alunos produzem no computador partituras em braile.
Projeto, que existe há sete anos, formou 72 músicos.

vatório Municipal de Guarulhos, na Grande São Paulo, oferece a deficientes auditivos e visuais a possibilidade de descobrir na música uma forma de superar dificuldades. Os parceiros do SP Rosana Lis e Fábio Bordalo mostraram detalhes desse projeto no SPTV desta quarta-feira (16).
Os projetos de inclusão musical começaram a ser desenvolvidos desde 2005 no conservatório que atende os alunos gratuitamente. “Eles percebem a música pelo corpo. Eles ouvem o som mais grave e identificam que aquele som é diferente do agudo. Eles percebem no corpo, como o grave na barriga, por exemplo, e o agudo mais na região das costas”, explica Fabio Bonvenuto, professor e maestro.
A instituição também ministra aulas em braile. Os deficientes visuais utilizam o computador para produzir partituras nesse sistema de leitura para cegos. Depois, a música é passada para os instrumentos.
“A música traz mais sensibilidade para a pessoa. A música traz um modo de ver o mundo diferente. A partir do momento que perdi a visão eu pensei sobre o que faria da vida, como eu agiria e quais seriam as possibilidades. Na verdade, eu descobri a música e me descobri na música”, diz o bancário Pietro Aires Sanchini.
O conservatório, que já formou 72 músicos, está com as inscrições abertas para deficientes visuais e auditivos.
Serviço:Conservatório Municipal de GuarulhosAv. Tiradentes 2.521, 1º andar, Vila São Jorge
Jardim Bom Clima
Telefone:             (11) 2087-7445     

Fonte: SPTV

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

HAPPY LIFE PARTICIPA DE EVENTO SOBRE A LBI.

Audiodescrição foto de Natália Betto.: Foto em detalhe mostrando Natalia Betto ao lado do banner do evento. Natalia é branca, tem 1,65m, cabelos pretos lisos, na altura dos ombros, está de blusa azul, usa calça e sapatos pretos. Ela está em pé, com a mão esquerda sobre a perna. O braço direito está flexionado e a mão espalmada para cima mostra a logomarca “Dialogs for Inclusion” no banner. No canto superior direito da foto, em branco, está a logo da Happy Life. Fim da descrição. Uma empresa em fase de crescimento precisa alimentar boas ideias e se alimentar delas. Foi exatamente isso que fez a Happy Life na última sexta-feira, 25 de novembro de 2016., ao participar do Dialogs for Inclusion, experiência de benchmarking à luz da Lei Brasileira de Inclusão – LBI. O evento faz parte do projeto Saber Para Incluir, da Diversitas e teve como anfitriã a Dow Química, que recebeu em seu site no Condomínio Rochaverá, um seleto grupo com profissionais de 12 empresas: Bayer, Cetelen, DSM, Ha
A Happy Life esteve à disposição durante o período do salão do automóvel para realizar o transporte de pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida. O transporte era gratuito aos   e as saídas aconteceram da estação Jabaquara do Metrô (Na Rua Anita Costa, Nº 98) e na estação Imigrantes do metrô (Rua Engº Guilherme Winter) para o Centro de Exposições São Paulo Expo.

Depoimento Especial - Carta de Agradecimento FCD

Gostaríamos de compartilhar com vocês uma carta de agradecimento que recebemos da  FCD/BR – Federação das Fraternidades Cristãs de Pessoas com Deficiência do Brasil, referente ao atendimento realizado no dia 28 de abril de 2017. Obrigada amigos pela mensagem!!! Nós que agradecemos pela preferência e carinho com a nossa equipe. Até o próximo  Happy Transporte ! =) Segue texto da carta: São Paulo, 04 de maio de 2017. Caros amigos e amigas da Happy Life. Paz e Bem! A FCD/BR – Federação das Fraternidades Cristãs de Pessoas com Deficiência do Brasil – FCD(BR),  organizada juridicamente, é um movimento   ecumênico de evangelização  e promoção humana, tem por objeto valorizar a essência da pessoa com deficiência, destacando suas capacidades, buscando uma renovação cultural das próprias pessoas com deficiência, seus familiares, sociedade e governos, provocando com isso a verdadeira inclusão social. Migrada da França onde foi fundada em 1945, pelo Monsenhor Henri François, f