Pular para o conteúdo principal

Memorial da América Latina exibe em SP série de filmes sobre migrações


A Fundação Memorial da América Latina exibe, até 6 de dezembro, filmes sobre migrações no mundo contemporâneo. Entre os autores das películas estão os italianos Pietro Germi, Franco Brusati, Luchino Visconti e Ettore Scola e o britânico Kean Loach, que narram a história das sociedades contemporâneas a partir do fenômeno da migração, como um dos aspectos fundamentais da sua formação.
“O projeto pretende abrir um espaço de discussão e de diálogo em São Paulo, que é uma cidade de migrantes,construída por migrantes”, diz o professor Maurizio Russo, coordenador do evento.
Após a exibição, os filmes são comentados e debatidos por especialistas do mundo acadêmico e cultural. Na próxima sessão da mostra, dia 27, será exibido Pane e Cioccolata (Pão e Chocolate), de Franco Brusatti. Em 4 de outubro será a vez de Così Ridevano, de Gianni Amelio e, em 18 de outubro, La Haine, de Mathieu Kassovitz.
“É um debate para conhecer o que foi a imigração no Brasil, e o que é a migração em nível internacional, o que é ser imigrante. Poucos sabem lidar com o problema. Normalmente, a migração é apresentada como uma anomalia, e a gente acredita que é um fenômeno natural. É preciso conhecê-lo, e como solucionar o problema do processo migratório”, ressalta o professor.
O evento, denominado Civilizações Migrantes: Migrações e Direitos Humano, está sendo realizado no auditório da Biblioteca Latino-Americana Victor Civita, com entrada franca. Apromoção é do Instituto Norberto Bobbio – Cultura, Democracia e Direitos Humanos, em parceria com a Comissão Municipal pelos Direitos Humanos de São Paulo, a Associação Cidade Escola Aprendiz, o Centro de Estudos Migratórios - Missão Paz, e o Memorial da América Latina.

Fonte: Jornal_Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

HAPPY LIFE PARTICIPA DE EVENTO SOBRE A LBI.

Audiodescrição foto de Natália Betto.: Foto em detalhe mostrando Natalia Betto ao lado do banner do evento. Natalia é branca, tem 1,65m, cabelos pretos lisos, na altura dos ombros, está de blusa azul, usa calça e sapatos pretos. Ela está em pé, com a mão esquerda sobre a perna. O braço direito está flexionado e a mão espalmada para cima mostra a logomarca “Dialogs for Inclusion” no banner. No canto superior direito da foto, em branco, está a logo da Happy Life. Fim da descrição. Uma empresa em fase de crescimento precisa alimentar boas ideias e se alimentar delas. Foi exatamente isso que fez a Happy Life na última sexta-feira, 25 de novembro de 2016., ao participar do Dialogs for Inclusion, experiência de benchmarking à luz da Lei Brasileira de Inclusão – LBI. O evento faz parte do projeto Saber Para Incluir, da Diversitas e teve como anfitriã a Dow Química, que recebeu em seu site no Condomínio Rochaverá, um seleto grupo com profissionais de 12 empresas: Bayer, Cetelen, DSM, Ha
A Happy Life esteve à disposição durante o período do salão do automóvel para realizar o transporte de pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida. O transporte era gratuito aos   e as saídas aconteceram da estação Jabaquara do Metrô (Na Rua Anita Costa, Nº 98) e na estação Imigrantes do metrô (Rua Engº Guilherme Winter) para o Centro de Exposições São Paulo Expo.

Depoimento Especial - Carta de Agradecimento FCD

Gostaríamos de compartilhar com vocês uma carta de agradecimento que recebemos da  FCD/BR – Federação das Fraternidades Cristãs de Pessoas com Deficiência do Brasil, referente ao atendimento realizado no dia 28 de abril de 2017. Obrigada amigos pela mensagem!!! Nós que agradecemos pela preferência e carinho com a nossa equipe. Até o próximo  Happy Transporte ! =) Segue texto da carta: São Paulo, 04 de maio de 2017. Caros amigos e amigas da Happy Life. Paz e Bem! A FCD/BR – Federação das Fraternidades Cristãs de Pessoas com Deficiência do Brasil – FCD(BR),  organizada juridicamente, é um movimento   ecumênico de evangelização  e promoção humana, tem por objeto valorizar a essência da pessoa com deficiência, destacando suas capacidades, buscando uma renovação cultural das próprias pessoas com deficiência, seus familiares, sociedade e governos, provocando com isso a verdadeira inclusão social. Migrada da França onde foi fundada em 1945, pelo Monsenhor Henri François, f