Pular para o conteúdo principal

Questionário permite identificar risco de autismo no primeiro ano de vida




Questionário desenvolvido por pesquisadores dos Estados Unidos permite identificar risco de Transtornos do Espectro do Autismo (ASD) em crianças de um ano. Resultados de estudo conduzido na University of North Carolina, mostra que 31% das crianças identificadas com risco para a condição pela nova abordagem aos 12 meses recebeu confirmação de diagnóstico aos 3 anos, avança o portal Isaúde.net

"Além disso, 85% das crianças consideradas com risco de ASD com base no questionário de 63 itens preenchido pelos pais, o First Year Inventory (FYI) (Inventário do Primeiro Ano - em tradução livre), tinha alguma outra deficiência de desenvolvimento aos três anos" , diz a autora sênior do estudo Grace Baranek. "Estes resultados indicam que a maioria das crianças com resultados positivos no FYI realmente experimentam algum atraso no desenvolvimento aos três anos que pode justificar uma intervenção precoce."

"Identificação das crianças com risco para a ASD aos 12 meses pode fornecer a um número substancial de crianças e suas famílias acesso aos serviços de intervenção meses ou anos antes de receber um diagnóstico tradicional", completa a autora principal do estudo, Lauren Turner-Brown.

No estudo, pais de 699 crianças que completaram o questionário FYI quando seus filhos tinham 12 meses completaram um questionário de triagem adicional quando as crianças completaram 3 anos. Além disso, as crianças que se encontravam em risco de ASD com base nesses questionários foram convidadas para avaliações diagnósticas presenciais.

"Estes resultados são encorajadores e promissores na abordagem do uso de relatórios de comportamentos infantis feitos pelos pais como uma ferramenta para a identificação de risco de um eventual diagnóstico de ASD aos 12 meses de idade", conclui Turner-Brown.

Fonte: rcm pharma
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

HAPPY LIFE PARTICIPA DE EVENTO SOBRE A LBI.

Audiodescrição foto de Natália Betto.: Foto em detalhe mostrando Natalia Betto ao lado do banner do evento. Natalia é branca, tem 1,65m, cabelos pretos lisos, na altura dos ombros, está de blusa azul, usa calça e sapatos pretos. Ela está em pé, com a mão esquerda sobre a perna. O braço direito está flexionado e a mão espalmada para cima mostra a logomarca “Dialogs for Inclusion” no banner. No canto superior direito da foto, em branco, está a logo da Happy Life. Fim da descrição. Uma empresa em fase de crescimento precisa alimentar boas ideias e se alimentar delas. Foi exatamente isso que fez a Happy Life na última sexta-feira, 25 de novembro de 2016., ao participar do Dialogs for Inclusion, experiência de benchmarking à luz da Lei Brasileira de Inclusão – LBI. O evento faz parte do projeto Saber Para Incluir, da Diversitas e teve como anfitriã a Dow Química, que recebeu em seu site no Condomínio Rochaverá, um seleto grupo com profissionais de 12 empresas: Bayer, Cetelen, DSM, Ha
A Happy Life esteve à disposição durante o período do salão do automóvel para realizar o transporte de pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida. O transporte era gratuito aos   e as saídas aconteceram da estação Jabaquara do Metrô (Na Rua Anita Costa, Nº 98) e na estação Imigrantes do metrô (Rua Engº Guilherme Winter) para o Centro de Exposições São Paulo Expo.

Depoimento Especial - Carta de Agradecimento FCD

Gostaríamos de compartilhar com vocês uma carta de agradecimento que recebemos da  FCD/BR – Federação das Fraternidades Cristãs de Pessoas com Deficiência do Brasil, referente ao atendimento realizado no dia 28 de abril de 2017. Obrigada amigos pela mensagem!!! Nós que agradecemos pela preferência e carinho com a nossa equipe. Até o próximo  Happy Transporte ! =) Segue texto da carta: São Paulo, 04 de maio de 2017. Caros amigos e amigas da Happy Life. Paz e Bem! A FCD/BR – Federação das Fraternidades Cristãs de Pessoas com Deficiência do Brasil – FCD(BR),  organizada juridicamente, é um movimento   ecumênico de evangelização  e promoção humana, tem por objeto valorizar a essência da pessoa com deficiência, destacando suas capacidades, buscando uma renovação cultural das próprias pessoas com deficiência, seus familiares, sociedade e governos, provocando com isso a verdadeira inclusão social. Migrada da França onde foi fundada em 1945, pelo Monsenhor Henri François, f